TerraMA² versão 4.0 – ALPHA 1 New

disponível (25/08/2017)

A plataforma TerraMA² necessita de inovações que atenda as aplicações diversas. Nesse sentido, estamos passando por uma reestruturação grande na base de nosso produto. Isto só tem sido possível devido ao projeto “BRAZIL CERRADO CLIMATE CHANGE MITIGATION PLATFORM OF MONITORING AND WARNING OF FOREST FIRES IN THE BRAZILIAN CERRADO PROJECT”, financiado pelo Banco Mundial (Banco Defra) obtido junto ao Ministério do Meio Ambiente, que tem como um dos objetivos modernizar o projeto de Queimadas do INPE, fazendo uso da plataforma TerraMA².

Tais inovações que irão atender plenamente o projeto de Queimadas como várias outras aplicações. As principais inovações serão:

  • Coleta de dados ambientais: além de fazer busca de dados em outras instituições por meio de FTP (protocolo de transferência de dados) ou serviços web (WCS ou WFS), a aplicação poderá se servir de base de dados que estejam localmente sendo “alimentadas” por outras tecnologias, como exemplo: uma antena que captura imagens de satélite meteorológico e armazena os arquivos em um disco local na rede do usuário.
  • Estratégia de armazenamento: dados matriciais (grades) são por natureza grandes consumidores de espaço físico de armazenamento e de complexo manuseio quando envolve séries históricas nas análises sobre grande volume de dados. Na versão nova da plataforma, além da estratégia de e armazenar dados no SGBD local do usuário, os dados matriciais poderão ser armazenados em sistemas de arquivos e processados dessa forma sem necessidade de importação para um banco relacional. Outras formas de armazenamento em bancos não relacionais também estão em estudo por parte da equipe de desenvolvimento da TerraMA².
  • Novos operadores espaço-temporais: uma lista de novo operadores espaciais e temporais estão previstos de serem implementados sobre os diversos tipos de dados ambientais. Atualmente a unidade de tempo empregada nos operadores está restrita a valores em “horas”. Será permitido o usuário declarar que unidade mais conveniente ao tipo de dado disponível, no caso, valores em minutos, horas, dias, semanas, meses ou anos.
  • Linguagem de programação para modelos de análise: a versão atual permite que o usuário escreva os modelos de análise na linguagem LUA (www.lua.org) e na nova versão será incorporada a linguagem PYTHON (https://www.python.org/).
  • Geometria do objeto monitorado: a geometria do objeto monitorado, restrito a polígonos, será estendida a pontos e linhas. No caso de uma linha de transmissão de energia, por exemplo, análises poderão ser realizadas diretamente sobre o vetor da linha, sem necessidade de criar um “buffer” entorno da linha.
  • Novo aplicativo WEB: uma nova versão do aplicativo WEB utilizando novas ferramentas como OpenLayer 3.0 e bibliotecas em Javascript (JQuery, Bootstrap, Chart.js).

 

Arrow
Arrow
PlayPause
Slider

 

A Figura a seguir mostra como deverá operar a nova versão da plataforma TerraMA², com destaque para as diferentes fontes de dados ambientais, onde a plataforma poderá coletar dados remotamente em outras fontes (instituições) ou se servir de dados localmente disponíveis que foram coletados por outras tecnologias como satélites de comunicação, celular, rádio entre outras.

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *